Eduardinho e Marcelinho: campeões!

 

 

Nossos alunos supercampeões ganharam mais um título! Dessa vez foi o futevôlei dos Jogos Cariocas de Verão realizados no Rio nos dias 21 e 22 de março.

Representando o Vasco, a dupla bateu o Santos na semi-final e o Fluminense na final, ambos por 2×0, e garantiram mais um pódio.

Parabéns, garotos! O esforço sempre vale a pena!

Articulação por articulação. Uma nova abordagem?

por Equipe abr

Em uma discussão entre os renomados autores Gray Cook e Michael Boyle, o primeiro estava compartilhando com o segundo como era sua visão sobre a necessidade das articulações do corpo, e como suas funções estão relacionadas com o treinamento.

Para Gray Cook (2010), o corpo é apenas um monte de articulações, onde cada uma delas tem uma função específica, podendo assim , estar sujeitas a disfunções. Como consequência, cada articulação terá necessidades específicas de treinamento. O quadro abaixo mostra esta visão de forma mais clara:

A primeira coisa a se notar é que as articulações se alternam entre mobilidade e estabilidade. Os tornozelos precisam de mobilidade, e os joelhos, estabilidade. E assim vão se alternando. Nos últimos 20 anos, nos Estados Unidos, a abordagem antiga de treinamento de musculaturas isoladas, como treino de “peito , tríceps e ombro” vem sendo substituída por uma mais inteligente e integrada, onde se treina padrões de movimentos como puxar/empurrar e flexão/extensão de quadril (Boyle, 2010).

De qualquer forma, esta abordagem por si só não é completa. É necessário levar em consideração as funções de cada articulação e suas possíveis disfunções. Muitas lesões estão diretamente associadas a estas funções articulares, ou melhor, às suas disfunções. Problemas desenvolvidos em uma articulação normalmente aparecerão em forma de dor na articulação acima ou abaixo. O processo é simples. Ao perder mobilidade de tornozelo, terá mais chances de ter problema no joelho. Ao perder mobilidade de quadril, terá mais chances de problema na coluna lombar (Boyle, 2010).

Sabendo que o mundo moderno em que vivemos pode ser bastante prejudicial para nossas articulações (muito tempo sentados, calçados inadequados, etc), nós da abr desenvolvemos nossa metodologia de uma forma que cada articulação citada anteriormente tenha todas suas necessidades serão estimuladas a cada dia de treino, garantindo assim, uma treino bastante seguro e eficiente.

REFERÊNCIAS:
COOK, Gray. 12 de dezembro 2010. http://www.functionalmovement.com/articles/Screening/2010-12-17_expanding_the_joint-by-joint_approach
BOYLE, M. J. Advances in functional training: training techniques for coaches, personal trainers and athletes. Califórnia: One Target Publications. 2010.

Postura correta durante todo o dia

Por Equipe abr.

Viver no mundo atual nos exige que passemos muito tempo sentados. Seja na frente de um computador, em um sofá, dentro do carro, dos ônibus, metrôs ou aviões. Dessa forma, fica muito difícil de manter uma boa postura durante todo o dia, ou até mesmo por algumas horas. Porém com algum esforço e uma boa estratégia é possível manter uma boa postura. Os benefícios são inúmeros: diminuir as chances de lesão na coluna lombar, no pescoço, punhos, joelhos e tornozelos. Além aumentar na disposição para o dia-a-dia (Williams, 2012).25FEV15

Os professores da abr costumeiramente orientam os alunos sobre como estar atento à postura durante sua rotina diária, pois somente treinar de 2 a 3 horas por semana não é o suficiente. Uma hora do dia representa 4% do seu dia. Vamos supor que o treino de uma hora seja bastante eficiente, e te deixe um bom legado. E nos outros 96% do dia? Você se mantém com uma postura adequada ?

Seguem abaixo algumas dicas para que você se certifique que está numa postura adequada, segundo Verstegen (2012):

  • Eleve o seu peito (esterno, osso vertical que divide lado direto/esquerdo do peito);
  • Mantenha suas escápulas (osso da parte posterior do ombro, antigamente conhecida por “omoplata”) encaixadas para trás e para baixo;
  • Mantenha seu abdômen “chapado”.

No caso de você estar sentado:

  • Suas orelhas devem estar alinhadas com os quadris. Os joelhos a 90 graus alinhados com quadris, ou até 20◦ mais baixo. Os tornozelos alinhados com os joelhos.
  • Seu queixo deve estar paralelo ao chão, ou pouco inclinado para baixo, máximo 30◦;

Na sequência, seguem dicas para o caso de você estar em pé:

  • Suas orelhas devem estar alinhadas com os ombros, seus quadris com seus joelhos, e esses com os seus tornozelos;
  • Alterne o peso colocado em uma das pernas;
  • Em caso de ficar muito tempo em pé, realizar algum dos alongamentos propostos pela ABR.

Outra ótima estratégia para manter a musculatura saudável, sua circulação sanguínea e seu metabolismo ativos é realizar a autoliberação miofascial em situações cotidianas fora do treino. Como passar a bolinha de borracha da ABR (ou bola de tênis) na planta dos pés enquanto no computador. Ou no intervalo do seu programa de TV favorito, fazer a autoliberação miofascial com o rolo de alta densidade ou com o ”stick”.

Se você for passar muito tempo sentado ou em pé parado, lembre-se de se movimentar a cada 30 minutos. Adotar as estratégias posturais propostas acima, combinadas com a preparação física funcional, alimentação adequada e apresentar consistência, podem ser um caminho para resultados efetivamente duradouros.

REFERÊNCIAS
WILLIAMS, Pete. 5 de julho 2012.
http://www.coreperformance.com/knowledge/wellness/24-hours-of-perfect-posture.html

Reportagem: Ivan Mundim

Atleta2Hoje vamos falar sobre o Ivan Mundim, um aluno muito especial para a Equipe ABR por ser um exemplo de superação, disposição e motivação, além de nos provar que o treinamento funcional que desenvolvemos é realmente diferenciado.

O Ivan é um apaixonado por esportes aquáticos. Surfista desde os 13 anos, sempre praticou esqui aquático e kite surf. Há alguns anos, incorporou o SUP – Stand Up Paddle – com remadas de longa distância e o SUP surf à sua rotina que ainda conta com corridas e pedaladas quando sobra um tempinho.

Em abril do ano passado, o Ivan sofreu a lesão mais séria que já teve durante um SUP surf na praia da Macumba: caiu de uma onda grande e, por instinto, não largou o remo na queda. O remo fez uma alavanca deslocando o braço do ombro e causando lesão de todos os ligamentos e tendões, além de paralisia plexo braquial.  O Ivan não conseguia mais erguer o braço direito e chegou a pensar que perderia seus movimentos para sempre.

AtletaA recuperação começou com uma cirurgia quase um mês depois do acidente e restabeleceu alguns movimentos. Cinco meses após o procedimento, o Ivan começou a fisioterapia e retomou o treinamento funcional na ABR. Segundo o médico que o operou, um recorde! Mês passado, o Ivan participou de uma prova de Race Amador e ainda ficou com o 16º lugar no Rei e Rainha do Mar, em Copacabana/RJ! O primeiro a chegar na faixa acima de 50 anos.

Avesso à monotonia das academias, o Ivan adorou o treinamento funcional logo que conheceu pela variedade de exercícios e o modo circuito que mescla atividades cardiorrespiratórias e exercícios de força, reproduzindo o que acontece na prática. Outra grande vantagem apontada foi a adaptação dos exercícios às necessidades que ele tinha, uma personalização do treinamento que é um cuidado especial que a ABR tem com seus alunos.

Além disso, o Ivan se empolgou com o rápido resultado dos treinamentos iniciados há mais de um ano. Poucas semanas após começar já sentiu o corpo mais estruturado e seguro para praticar seus esportes radicais. Hoje, com 56 anos, ele se sente mais forte e confiante do que há dez anos, deu adeus aos problemas na coluna, torcicolos, estiramentos e outras lesões sempre respeitando os limites do seu corpo e levando uma vida saudável.

Sistemas de treino e rendimento esportivo

Por Equipe abr.

Desde o início dos jogos olímpicos os sistemas de treinamento têm passado por alterações significativas quanto aos objetivos, tipos de equipamentos, além de volume e intensidade das sessões de treino [1]. Um exemplo disso é a quantidade de treino realizada (30 minutos por dia) por Roger Banister quando bateu a marca dos 4 minutos na milha, em 1954. Entre os anos de 1975 e 1980, para correr a mesma distância, o volume de treinamento aumentou entre 10% a 22% [2]. Durante a Copa do Mundo FIFA no Brasil, o Futebol mundial mostrou que, além da dimensão tática ser fator determinante para o sucesso de uma equipe durante uma partida, a dimensão física continua exercendo papel essencial para a vitória dentro das quatro linhas. Foi possível observar que algumas seleções apresentaram rendimento físico superior às demais, com menor desgaste e consequente diminuição do ritmo de jogo. Essas seleções foram fotografadas realizando exercícios e utilizando materiais muito comuns para os praticantes da preparação física funcional proporcionada pela abr aos seus alunos.

23jan15-123jan15-2

 

 

 

Fonte: Site do programa Esporte Espetacular.

Em entrevista ao repórter Fabrício Marques do programa Esporte Espetacular [3], o mestre em Ciências do Desporto e ex-preparador físico do Bayern de Munique, Marcelo Lins, ressalta a necessidade de desenvolvimento de um bom padrão de movimento: “A qualidade do movimento é a base do programa. Preparadores fazem excelentes trabalhos no desenvolvimento das capacidades físicas, mas de que adianta ter super atletas lesionados? Todo o trabalho pode ser perdido em função de uma lesão. No caso, estou me referindo a lesão sem contato. No trabalho com o movimento correto você pode diminuir a probabilidade de lesão. É como construir uma casa na praia. Não pode fazer na areia. Tem que cavar e fazer uma fundação. O jogador com uma base sólida, um movimento adequado, tem a fundação para um bom trabalho de condicionamento físico”. A escolha do melhor sistema de treinamento pode ser determinante para o sucesso em determinada modalidade esportiva, ou mesmo para os objetivos traçados por uma pessoa comum em relação ao rendimento físico. A preparação física funcional tem conquistado fatia importante do mercado da preparação física justamente por reunir três características: i) desenvolve determinadas capacidades físicas, ii) resgata padrões de movimento fundamentais e, iii) restaura grupos musculares.

REFERÊNCIAS

SAMULSKI, D., L.O.P. Costa, and R.Á.d.P. Simola, Overtraining e recuperação, in Psicologia do esporte: conceitos e novas perspectivas, D. Samulski, Editor. 2009, Manole: Baueri. p. 405-428. BOMPA, T., Theory and methodology for training: the key to athlete performance. 1983, Dubuque: Kendall/Hunt. MARQUES, F., Ex-preparador do Bayern, brasileiro destaca importância do físico: ‘Fundamental’, in Globo esporte online. 2014, Rede Globo: Brasília. p. 1.

Mais um pódio para o nosso atleta da canoa polinésia

Processed with MoldivNo dia 18 de outubro ocorreu o Campeonato Brasileiro de Va’a Maratona e V1 Paracanoagem em Santos/SP, organizado pelo Núcleo Poseidon de Canoagem Havaiana, pela Confederação Brasileira de Canoagem e pela Prefeitura de Santos.

Processed with Moldiv

 

Na categoria Júnior, a equipe Rio Va’a do nosso atleta Nário ficou com o 2º lugar. A abr parabeniza o Nário e seus colegas de canoa Thomas Bourlon, Luís Leal, Lucas Mendes, Daniel Martins e Leon Bourlon pelo excelente resultado!

 

Aperfeiçoamento

Processed with MoldivEm setembro, nosso treinador Eduardo viajou aos Estados Unidos fazer dois aperfeiçoamentos. Começou a imersão por Boston em um dos maiores e mais equipados centros de treinamento para atletas de alto nível do mundo. O curso foi ministrado pelo criador do centro Michael Boyle – treinador com mais de 20 anos de experiência em treinamento de atletas olímpicos, times de hockey e futebol americano – e Brandon Rearick, e contou com aulas teóricas, práticas e observações de treinamentos. Lá, o Eduardo conheceu preparadores de diversas partes do mundo como o preparador físico de um time de futebol profissional da Suíça, o campeão europeu de kettlebell e a técnica do time de remo dos Estados Unidos.

Depois desse ciclo de aprendizado, nosso treinador participou de um curso na SFG – Strong First com Phil Scarito e Pavel Tsatsouline. Pavel é difusor do uso do kettlebel como ferramenta de treinamento nos Estados Unidos e na Europa, além de ser preparador físico das forças militares russas.

Nosso treinador se atualizou e trocou experiências com outros profissionais do mundo todo. E pode constatar que o trabalho que a abr realiza segue os padrões mundiais e que estamos atualizados com o que está na vanguarda do treinamento funcional.

Inauguração da Tenda na Lagoa

Processed with Moldiv
No último sábado, dia 6 de setembro, foi inaugurada a Tenda na Lagoa da abr. A Carolina, nutricionista e colaboradora da equipe, preparou um café da manhã especial para receber alunos, amigos e interessados em conhecer esse treinamento. A estrutura foi montada com todos os equipamentos utilizados no treino funcional: cordas, bolas, rodas, trenó, slide board, caixotes, kettlebells entre outros.

Processed with Moldiv
Os treinadores Eder, Eduardo e Fábio apresentaram a preparação física funcional que a abr desenvolve há mais de um ano no local, apresentaram os benefícios do treinamento realizado ao ar livre, com um aparelhamento especial (bem diferente do que é encontrado nas academias) e com um princípio também diferenciado de consciência corporal, de busca de equilíbrio e de organização da estrutura do corpo de um forma eficiente.

Processed with Moldiv
A Tenda na Lagoa está montada à beira da Lagoa Rodrigo de Freitas em frente ao Clube Monte Líbano. As aulas ocorrem diariamente e tem uma hora e 15 minutos de duração. Atualmente dispomos de 2 horários em cada turno: pela manhã, das 7hs às 8:15hs e das 8:15 às 9:30hs. À tarde, das 17hs às 18:15hs e das 18:15hs às 19:30hs. E à noite das 19:30hs às 20:45hs e das 20:45hs às 22hs.
Se você está procurando um treinamento inteligente, outdoor e sem aparelhos, aqui é o seu lugar. Vem para a abr!

A importância da ativação dos glúteos no treinamento do core

Por Equipe abr

Em texto anterior a equipe abr citou alguns benefícios de treinar o core, como a melhora do controle postural, ajuda na remoção do lactato e de transferência de força da região central para as extremidades do corpo. Segundo Boyle (2010), para um melhor entendimento do treinamento do core, é preciso observar os mecanismos compensatórios que o corpo promove.
imageRealizar o padrão de movimento de extensão lombar em substituição à extensão de quadril é uma das principais razões para a falta de estabilidade na região do core, podendo causar lombalgias indesejadas. Este padrão se altera com o encurtamento da musculatura do iliopsoas, o que inibe a ação do motor principal deste movimento, o glúteo máximo. O encurtamento da musculatura posterior da coxa e consequente incapacidade de realizar de maneira adequada a extensão do quadril, também pode ser considerado um fator que inibe a atuação do glúteo (BOYLE, 2010).
A solução para este padrão de movimento alterado é a reeducação do sistema neuromuscular, fazendo com que o glúteo seja utilizado da maneira eficiente. A sugestão de Boyle (2010) é que esta ativação de glúteo máximo seja no início do treinamento. Esse autor também associa as dores na parte anterior do joelho à falta de força do glúteo médio (musculatura estabilizadora do joelho).
Baseado na experiência e estudos de Michael Boyle, a abr utiliza exercícios para a reeducação neuromuscular dos músculos glúteo máximo e médio, garantindo o sucesso do treinamento do core e de outras capacidades físicas. Desta forma, ainda, são reduzidos os riscos de lesões por mecanismos compensatórios.
.
REFERÊNCIA
BOYLE, M. J. Advances in functional training: training techniques for coaches, personal trainers and athletes. Califórnia: One Target Publications. 2010.

Novidades sobre nossos atletas do futevôlei

sbt-rio-10

Os atletas da abr Marcellinho e Eduardinho continuam apresentando boas performances nos campeonatos dessa temporada. Pela 1ª etapa do campeonato carioca, o Circuito Futevôlei SBT Rio, realizado no posto 4 de Copacabana e no Flamengo, a dupla conquistou a vitória sobre Anderson e Lalazinho por 2 sets a 1, parciais de 16×18, 18×12 e 15.12. Na 2ª etapa, mais uma vitória, agora sobre Duca e ET, também por 2 sets a 1, parciais de 19×17, 18×15 e 15×9. Na 3ª etapa, a semi-final, Duca e ET levaram a melhor sobre a nossa dupla e Marcellinho e Eduardinho acabaram em quarto lugar. A 4ª etapa também não foi positiva para os nossos atletas que acabaram cedendo a vitória por 2 sets a 1 para Papel e Japa.

sbt-rio-11

Na 5ª etapa, os atletas se ausentaram da competição, não pontuando, para participarem da Liga Nacional de Futevôlei defendendo o Madureira. A Liga Nacional é disputada por trios e a nossa dupla se juntou ao profissional de futebol Bruno Reis para conquistar o 3º lugar do campeonato, perdendo na semi-final para os principais adversários na atualidade: Belo, Vinícius e Alex Dias, por 2 sets a 1, parciais de 14×18, 18×15 e 12×15.

 

Apesar dos contratempos, os atletas da abr Marcellinho e Eduardinho continuam no topo do ranking. Parabéns, garotos!

sbt-rio-3